Total visualizações de páginas, desde Maio 2008 (Fonte: Blogger)

quinta-feira, 16 de junho de 2011

P-114 - AS FERIDAS DA GUERRA (Por José R. Firmino, CCAÇ 2585 "Mais Alto")



Abram o Link da RTP-1 "Linha da Frente"
"ex. combatentes Africanos a viver em Quarteis Portugueses"



AS FERIDAS DA GUERRA


José R. Firmino
No programa “Linha da Frente” transmitido pela RTP1, em 2011-06-15, ficamos nós, ex. combatentes e os telespectadores em geral a saber um pouco mais sobre o que foi a guerra no Ultramar Português, (Angola, Guiné e Moçambique) e suas sequelas, que alguns, ainda teimam em fazer esquecer, outros nem sequer falar, senti em mim como que uma revolta ver aqueles Homens ex. combatentes que lado a lado combateram junto de nós, sofreram! Como se pode ver com as marcas bem visíveis no corpo, lembro que passados quase meio século não fosse capaz de ver o drama destes ex. combatentes e muito mais o esquecimento a que por vezes estão sujeitos, é que já lá vão dez anos a viver em quartéis, longe das suas terras, de seus familiares, sem que o Estado Português reconheça aquilo a que têm direito, mas as injustiças não se ficam por aqui, pois todos sabemos que ficaram por lá muitos ex. combatentes que tombaram em combate, que até hoje não descansam em paz no seu País nas suas terras junto de seus familiares, isso me envergonha, enquanto Português e ex. combatente.


Em grito de revolta digo, façam por estes Homens, algo que merecem! Que amanhã não seja tarde de mais! Depois em vez de receberem aquilo a que têm direito e por certo mais barato, recebe a família o subsídio de funeral.


José Rodrigues Firmino, 
Ex. combatente da CCAÇ 2585 (Mais Alto) GUINÉ, Jolmete 1969/71

2 comentários:

Manuel disse...

Caro Régua, desculpa que te trata assim.
Eu sou uma pessoa muito sensível a estas coisas, e acredita que chorei.
Não compreendo estas politiquisses de merda em relação a estes assuntos. É só burocracias. Estar 9 anos à espera de um direito....... é muito tempo, fora as complicações de vida que isto transtorna.
Se me saísse o euromilhões eu sei muito bem onde o iria aplicar.
Um abraço
Manuel Resende

Joaquim J.Mendes Santos disse...

Caro amigo Firmino,por aqui vemos a classe politica que temos em Portugal.Estes individuos deviam sofrer em dobro com estes homens sofrem .Homens que têem de vir para longe da sua terra e estarem estes anos todos sem que lhes resovam o problema é uma vergonha inqua lificável.Firmino mas nós também somos culpados aguentamos todos os enxovalhos e calamos,nem agora somos capazes de ir para a rua fazer barulho e mostrar que ainda há 500.000 vivos.