Total visualizações de páginas, desde Maio 2008 (Fonte: Blogger)

Calcule seu Peso Ideal
Sexo: M F
Sua altura: m
Segure seu punho com o indicador e o polegar da outra mão. Seus dedos se tocam?
Não Sim, justos Sim, e sobram

terça-feira, 26 de maio de 2009

P34 - Blogue de Luís Graça no Diário de Notícias

dn gente

Tertúlia da Guiné faz 'blogoterapia'
por
LEONOR FIGUEIREDO
01 Março 2008


Blogue de Luís Graça cresceu e conta com mil visitas todos os dias, de tropas e familiares
Há cinco anos, o professor da Escola Nacional de Saúde Pública de Lisboa e ex-furriel miliciano na guerra da Guiné-Bissau entre Maio de 1969 e Março de 1971 decidiu, como tantos outros, partilhar a sua experiência de guerra e criou um blogue pessoal.
A primeira reacção não se fez esperar. "O primeiro que me apareceu foi um operário do estaleiro de Viana do Castelo. Ficou o número dois da tertúlia. Não eram só ex- -militares, mas também familiares, a viúva, a ex- -namorada... depois a tertúlia virou um pequeno rio", pormenoriza Luís Graça ao DN gente.
Ele fundou o que é actualmente considerado o maior blogue colectivo em língua portuguesa sobre a experiência das guerras do ultramar, colonial, e de libertação, como se lê http/www.guiledje.org/ .
O "rio" que cresceu deu origem a um blogue que teve mais de 400 mil visionamentos, até Setembro passado, além das 200 pessoas que ali partilham regularmente a sua experiência.
O blogue Luís Graça & Camaradas da Guiné tem mais de mil visitas diárias e já deu origem ao livro de um ex-militar da Guiné, Beja Santos.
Neste meio de comunicação juntam-se homens de muitas profissões, além de médicos e alguns oficiais superiores.
No entanto, "a maior parte são milicianos, soldados e alguns têm o handicap de não lidarem facilmente com a Internet. De resto, não fazemos juízos de valor. Falamos do que vimos e testemunhamos, mas não entramos em políticas nem da guerra nem da descolonização", sublinha Luís Graça.
O blogue também inclui testemunhos de ex-guerrilheiros do PAIGC, como o coronel Paulo Maló, das Forças Armadas da Guiné, que comandou várias emboscadas.
Da sua participação no encontro em Bissau, Luís Graça - que diz nunca ter usado a sua G-3, nem mesmo debaixo de fogo - espera trazer novos contributos.

Sem comentários: