Total visualizações de páginas, desde Maio 2008 (Fonte: Blogger)

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

P23: AZAR DE UNS, SORTE DE OUTROS




(...) Caro amigo. Quanto ao filme ; "As duas faces da guerra", claro que sim, estou interessado em o ter, pois isso também faz parte do meu passado.
Quanto ao preço não há problemas, Pago-te em Junho, no convívio da nossa CART3494 quando nos virmos, tá? Se não envio-te um cheque. Para já aqui fica o meu muito obrigado. Gostei imenso do site, onde me descreveste. No site falavas nos que morreram no rio Geba em 10 de Agosto 1972,
JOSÉ MARIA DA SILVA E SOUSA, MANUEL SALGADO ANTUNES E ABRAAO MOREIRA ROSA.
Pois esses três homens eram do meu pelotão. (1 Pelotão)
A esse respeito, tenho uma pequena estória a contar. Na véspera desse acidente eu estava de serviço de limpeza ao Quartel, a certa altura a viatura já tinha muito lixo e eu subi acima para calcar esse mesmo.
Azar meu, por um lado e sorte por outro, espetei um prego num pé inchou muito, a pontos de não poder por o pé no chão. Dia 10 vou ao médico a Bambadinca na coluna que vai a Bafatá, ao chegar ao quartel soube do acontecimento. A mando dos superiores do meu pelotão o José Maria da Silva e Sousa, levou a minha bazuca, meu cinto com faca e 4 granadas de mão.
Tudo isto para dizer, que o ter espetado o prego no pé, foi a minha salvação! se não lá tinha eu ido pró maneta. À males que dão para bem! (eu encontro-me dentro desta situação).
Dias depois fui chamado a secretaria para dar baixa do meu material (o que o J. M. S. S. tinha levado). Ao mesmo tempo um dos sargentos, deu-me um pequeno pincel e uma latita de tinta, e mandou-me escrever numa mala de madeira a direcção do José Maria da Silva Sousa SÃO TIAGO DO BOUGADO - TROFA se a minha memória está boa, era esta a direcção do nosso camarada.
Sem mais, aqui fica o meu muito obrigado por tudo aquilo que tens feito por todos nós.
Um forte abraço do Teixeira e até breve.

Nota do editor: O Teixeira é imigrante em França, enviou-me esta MSG (mensagem) a pedir o filme "AS DUAS FACES DA GUERRA" também conta estar presente no XXIV convívio da CART 3494, a realizar no dia 13 de Junho de 2009, em VAGOS . Encontrou-nos no blogue do Luís Graça & camaradas da Guiné, para o qual, vos convido a visitar e também participando com vossas estórias, bastando enviar uma foto da época e outra actual para o endereço de e-mail:
http://blogueforanadaevaotres.blogspot.pt/search?q=ricardo+teixeira
RICARDO DE ALMEIDA TEIXEIRA
30 RUE DU BEARN 13300
SALON DE PROVENCE
FRANÇA
teixeira.ricardo@free.fr

sábado, 14 de fevereiro de 2009

P22: NOMES PRÓPRIOS DA GUINÉ-BISSAU


- Mensagem de António Marques Lopes, ex. Alf. Milº da CART 1690, Guiné - Geba, hoje Coronel (DFA) na situação de reforma.










Do "Contributo" de Fernando Casimiro

www.didinho.org


 NOMES PRÓPRIOS DA GUINÉ-BISSAU



Filomena Embaló
Vários foram os pedidos que nos chegaram solicitando uma lista de nomes próprios da Guiné-Bissau. Aqui fica um apanhado por ordem alfabética, não exaustivo e que poderá ser completado a todo o momento com novas contribuições. Infelizmente, não estão contemplados todos os grupos populacionais da Guiné-Bissau por não termos conseguido informações dos nomes seus.
Para cada nome indicamos o género, a etnia a que corresponde e, na medida do possível, o significado.
Provavelmente, existem imprecisões ou mesmo erros nos significados, ortografias e etnias atribuídas aos nomes. Assim, todos os comentários, sugestões, acréscimos e correcções serão bem-vindos.
A realização desta recolha foi possível graças às informações dadas pelos nossos colaboradores:
Fernanda Tavares
Solita Fernandes
Nu Barreto
A. Marques Lopes
Incanha Intumbo
Armando Albino Arafã
Enfamara Cassamá
Augusto Gomes

Abreviaturas e símbolos usados:

n.f. : nome feminino
n.m. : nome masculino
n.f. e m. : nome feminino e masculino
sig: significado
* : Ver o texto Discutindo a morfologia de alguns nomes balantas, de Incanha Intumbo.
lista de nomes
Abess (n. f. manjaco)
Abna* (n. m. balanta) Forma o verbo abá ‘matar’.
Acubodon (n. m. bijagó) sig. : nunca mais acontecerá
Ádama (n. f. fula)
Adul (n. m. fula)
Adulai (n. m. fula)
Akadite (n. m. bijagó) sig. : não deve ser informado
Alanan* (n. f. balanta) sig. em crioulo: "kin ki misti" , em português: “quem quer”
Alanso (n.m. mandinga) sig. : “Deus ajuda-me”.
Alarba (n. m. fula) sig.: quarta-feira. Nome dado aos rapazes nascidos numa quarta-feira
Alcamussa (n. m. fula) sig.: quinta-feira. Nome dado aos rapazes nascidos numa quinta-feira
Alfa (n. m. fula)
Alimatu (n. f. fula)
Amaiaptak (n. f. manjaco)
Amandepiodj (n. f. manjaco)
Amankana (n. f. manjaco)
Aminata (n. f. fula)
Ammbodina (n.f. bijagó)
Ansumane (n. m. fula e mandinga)
Apily (n. f. manjaco e pepel)
Apodida (n. m. bijagó)
Applop (n. f. manjaco)
Aputi (n. m. pepel)
Arafin (n. f. manjaco)
Assete (n. f. e m. fula) sig.: sábado. Nome dado às meninas nascidas num sábado
Aua (n. f. fula)
Aulé (n. f. balanta) Nome próprio, possivelmente derivado de uule (dialecto de fora) ou aule (dialecto de kentohe) ‘irã’, espécie de divindade na religião animista professada por grande parte dos povos Guiné-Bissau.
B aconteceraensen (n. m. bijagó)
Babetida* (n. f. balanta) sig.: «só vós» ou «só eles» e plausivelmente « só nós ».
Bacar (n. m. Mandinga)
Bacari (n. m. fula)
Baciro (n. m. mandinga e fula)
Bacoah (n. f. mancanha)
Bapam (n. m. mancanha)
Bela (n. m. fula)
Bera (n. f. biafada)
Besna* (n. m. balanta), sig: afugentem
Biankeia Nansanca* (n. f. balanta)
Bidinté (n. m. balanta) (Cf. Nota 4 – BAL); dinte, forma do verbo din’a, ‘tocar’, ‘apertar’.
Binhaté* (n. balanta, f. m. embora designe com maior frequência indivíduos do sexo feminino), sig: ficaram
Binta (n. f. fula)
Blulé (n. m. balanta) sig. : retirar uma coisa oferecida. Possivelmente aglutinação do bi- com a forma do verbo lulana ‘enganar’, no sentido de darmos algo a alguém mas retiramo-lo imediatamente, porque nunca tivemos intenção de lho dar.
Boar (n. f. mancanha)
Bobo (n. m. fula)
Bocamir (n. m. mancanha)
Bocar (n. m. fula)
Botche (n. m. fula)
Braima (n. m. fula)
Brinsan (n. f. balanta) sig. em crioulo: « guarda comberça », em português: « guardar segredo » Possivelmente bi- (pronome indefinido) rin ‘guardar’ san ‘conversa’.
Bubacar (n. m. Fula e mandinga)
Bubo (n. m. balanta) Pode tratar-se de um decalque de um nome não balanta.
Bufétar (n. m. manjaco) sig. : “Amigo/camarada”. Quando os pais, com orgulho, entendem que a vinda do recém-nascido trouxe harmonia na casa e na tabanca.
Busnassum* (n. balanta) sig. : ‘não se metam’ ou ‘abstenham-se”. Por vezes, há contradições entre os habitantes de uma aldeia e que, embora de cunho doméstico, muitas vezes dão origem a graves conflitos. Quando uma das pessoas envolvidas numa dessas desavenças vier a ter um bebé, a criança pode chamar-se assim.
Cadidjatu (n. f. fula)
Cadija (n. f. fula)
Cadja (n. f. fula e mandinga)
Calmicia (n. f. crioulo)
Camary (n. m. bijagó) sig. : ainda existe
Campuny (n. f. bijagó) sig. : rapariga
Capunoo (n. f. bijagó)
Clode (n. m. balanta) sig. : morte
Coli (n. m. fula)
Compotch (n.m. manjaco) sig: criança
Conco (n. f. fula)
Corca (n. m. fula)
Cumcero (n. m. bijagó)
dado a uma criança desejada.
Dallá (n. f. biafada)
Demba (n.m. fula)
Djabu (n. f. mandinga)
Djidere (n. m. fula)
Djiu de Nfanda* (n. m. balanta). Nome do marido de Ntobikte Nfanda é tipicamente um nome balanta.
Djuma (n. f. fula) sig. : “sexta-feira”. Nome dado às meninas nascidas numa sexta-feira
Ecurubu (n. m. bijagó)
Edanne (n. m. bijagó) sig. : não vou
Fali (n. m. Fula)
Fatumata (n. f. fula)
Fodé (n. m. fula)
Fodéba (n. m. mandinga)
Genabo ou Genaba (n. f. fula)
Ghacacane (n. m. bijagó) sig. : errado
Ghammura (n. m. bijagó) sig. : mutilado ou pigmeu
Gibril ou Gibrilo (n. m. fula)
Guidom (n. m. fula)
Hérr (n. m. biafada)
Idrissa (n. m. fula)
Imoutone (n. m. bijagó)
Infali (n. m. mandinga)
Iofna (n. m. balanta) sig.: sede superiores, sejam superiors.
Isnabá* (n. m. balanta) sig.: ‘deixem-nos’
Iurna* (n. m. balanta) sig.: ‘gabem-se’ .
Kausso (n. m. biafada)
Kuluté (n. m. balanta) Nome tipicamente Balanta
Kummempe (n. m. bijagó)
Kundjenne (n. m. bijagó) sig. : eles é que viram
Lânica (n. f. mancanha)
Maimuna (n. f. fula)
Malam (n. m. fula e mandinga)
Mamadjan (n. m. fula)
Mamadu (n.m. fula)
Mamudo (n.m. fula)
Mariama (n. f. fula)
Masimô (n. m. biafada)
Mera (n. f. fula)
Meta (n. f. e m. mandinga) sig. : “Aquele(a) que é esperado(a) há muito tempo”. Nome
Midana* (n. balanta) sig. : “Não leve em conta / releve / jogue tudo para o alto”. Por vezes, há contradições entre os habitantes de uma aldeia e que, embora de cunho doméstico, muitas vezes dão origem a graves conflitos. Quando uma das pessoas envolvidas numa dessas desavenças vier a ter um bebé, a criança pode chamar-se assim.
Mumine (n. f. e m. fula). Nome dado à criança nascida depois do falecimento do pai.
N Coronho (n. f. bijagó) sig. : do régulo
N Djimbala (n. f. biafada)
N Kandaí (n. f. biafada)
N Tchassó (n. f. e m. biafada)
N’Bullandé (n. f. balanta) sig. :‘Puxem-se’.
Naiana (n.m. manjaco e balanta)
Nala (n. f. mancanha)
Nanhara (n.f. bijagó)
Nassim (n. m. manjaco) sig. : “Chefe da aldeia”. Nome dado pelos pais, sobretudo o pai, quando aspiram que o filho venha a reinar, ou, ainda, quando os pais pertencem a uma família de linhagem nobre.
N'dafá (n. m. balanta)
Ndami (n. m. balanta)
Ndjiia (n. f. mandinga)
Ndjomboco (n. m. mandinga)
Nhinoi (n. f. bijagó) sig. : estou contente
Nhinte* (n. m. balanta)
Ntchôba* (n. m. balanta) Tcho – forma de tchoá ‘proibir’
Ntinhina* (n. balanta) sig : continuar a olhar (estou atento). Nome que pode ser dado a uma criança de cuja saúde todos duvidam porque a mãe teve uma gravidez difícil, mas que no entanto nasceu de boa saúde. Se a mãe se surpreender a olhar longamente para o filho nos primeiros momentos da vida deste, a criança pode vir a chamar-se Ntinhina.
Nuunu (n. f. manjaco)
Ocante (n. m. pepel)
Okoba (n. m. bijagó)
Okotlôh (n. m. pepel)
Ommona (n. f. bijagó) sig. : de Ancamona
Onor (n. f. mandinga)
Onua (n. m. bijagó) sig. : ele chegou
Opuda (n. m. bijagó)
Orandische (n. m. bijagó) sig. : que nunca foi dito
Orangona (n. f. bijagó) sig. : que veio de Orango
Orisaro (n. f. bijagó)
Oronnho (n. m. bijagó) sig. : régulo
Osemene (n. m. bijagó) sig. : hóspede
Oteadissa (n. m. bijagó) sig. : o pai de
Pansau* (n. m. balanta) sig: a casa acabou-se (todos os membros da família morreram ou emigraram)
Quecuta (n. m. fula e mandinga)
Quedmil (n. f.?, m. ?, origem?)
Quinta (n. f. crioulo) sig. : nascida numa quinta-feira
Ramatulai (n. f. fula)
Sábado (n. f. crioulo) sig. : nascida num sábado
Sabaro (n. f. e m. mandinga) sig. : Quer dizer “perseverança”.
Saia (n. f. fula)
Saico (n. m. fula)
Sakala (n. m. biafada)
Sali (n. f. fula)
Salimata (n. f. fula)
Salimatu (n. f. fula)
Sáliu (n. m. fula)
Samba (n. m. fula)
Sambaru (n. m. fula)
Sangonhá (n. m. biafada)
Segunda (n. f crioulo.) sig. : nascida numa segunda-feira
Serifo (n.m. fula)
Seteh (n. f. bijagó)
Silá (n. m. fula)
Sola (n. f. fula)
Some (n. f. balanta) sig. : cadáver
Soná (n. f. fula)
Sori (n. m. fula)
Soriba (n. m. mandinga)
Suleimane (n. m. fula)
Sumba Nablata* (n. m. balanta)
Suquel (n. f. fula)
Taí (n. f. fula)
Talara (n. f. fula) sig.: terça-feira. Nome dado às meninas nascidas numa terça-feira
Talibé (n. m. fula)
Tcherna* (n. f. balanta) sig. em crioulo: « bô dispreza », em português: « vocês desprezaram»
Tcherno (n.m. fula)
Tchetaná*(n. m. balanta) sig.: estar de pé
Teném (n. f. fula) sig.: segunda-feira. Nome dado às meninas nascidas numa segunda-feira
Tenemba (n. f. fula e mandinga)
Tidjane (n. m. fula)
Úmaru ou Úmaro (n. m. fula)
Ummbouka (n. m. bijagó) sig. : que devia sentar-se
Upa'Brenh (n.m. manjaco) sig: rapaz do mato
Upa'Brindjan (n.m. manjaco) sig: rapaz da morança de Brindjan
Upa'Brungal (n.m. manjaco) sig: rapaz de cabaceira
Upa'Kalinganar (n.m. manjaco)
Upa'Kantany (n.m. manjaco) sig: rapaz de corda
Upa'Karungal (n.m. manjaco) sig: rapaz da morança[i] de Carungal
Upa'Nalipy (n.m. manjaco) sig rapaz esperto
Upa'Ptak (n.m. manjaco) sig: rapaz da morança de Cambua
Upa'Ter (n.m. manjaco) sig: rapaz de Jeta); a palavra "Ter", significa Jeta...
Uri (n. f. e m. fula) sig. : Vida
Ussumane (n. m. fula)
Wan (n. m. balanta) Possivelmente de wa ‘vamos’.
Watna (n.m. balanta) Possivelmente de wate ‘ir(embora)’, (Cf. Exemplo 1) Uma tradução aceitável seria ‘força, vamos embora’, podendo ser equivalente ao ‘nô pintcha’ do crioulo guineense.
Yamasse (n.f. m. bijagó) sig.: não podem
Yamate (n. m. bijagó) sig. : ainda estão de pé contra mim
Yammauka (n. f. bijagó) sig. : ainda estão sentados
Yammegho (n. f. bijagó) sig. : queriam que
Yatira (n. f. bijagó) sig. : ainda não conseguiram
Yetán (n. m. biafada)

NOMES DE CASA[ii]

Baifass (n.m. crioulo) sig.: vai rápido. Nome (nome de casa) dado a crianças cujas mães tiveram nados mortos. Chama-se assim os recém nascidos para "enganar" a sorte ou então deita-se o bebé perto de uma fonte e aguarda-se que alguém o recolha para criar, afastando de si a “alma ciumenta” que não quer que se tenha um filho.
Cudjido (n. m. crioulo) sig.: recolhido. Nome (nome de casa) dado a crianças cujas mães tiveram nados mortos. Chama-se assim os recém nascidos para "enganar" a sorte ou então deita-se o bebé perto de uma fonte e aguarda-se que alguém o recolha para criar, afastando de si a “alma ciumenta” que não quer que se tenha um filho.
Negado (n. m. crioulo) sig: negado. Nome (nome de casa) dado a crianças cujas mães tiveram nados mortos. Chama-se assim os recém nascidos para "enganar" a sorte ou então deita-se o bebé perto de uma fonte e aguarda-se que alguém o recolha para criar, afastando de si a “alma ciumenta” que não quer que se tenha um filho.



[i] conjunto de habitações pertencentes à mesma família
[ii] Ver Nomi di kasa de Jorge Ampa, Papia 1, 2 1991 , p. 119-121, http://www.unb.br/il/liv/public/ampa.htm

NOMI DE KASA - Jorge Ampa
MORFOLOGIA DE NOMES BALANTAS Incanha Intumbo 24.01.2009
PUBLICAÇÃO INICIAL - 11.01.2009
Actualizações:
18.01.2009
24.01.2009


VAMOS CONTINUAR A TRABALHAR!
Projecto Guiné-Bissau: CONTRIBUTO


Nota:Comentário, com data de 22 de Julho de 2016 de MANSAFAKORIM, pedi para que se apresentasse, mas até agora não respondeu, mesmo assim por achar que o texto vem valorizar os nomes próprios da Guiné resolvi transcreve-lo aqui.
SdC


mansafakorim disse...

Acho este exercício interessante, pelo que decidi dar a minha contribuição na medida do possível. Antes de mais queria chamar a atenção para o facto de ter reparado que muitos nomes atribuídos aos fulas, são nomes de origem árabe e por conseguinte comuns as etnias ou pessoas islamizadas.
Esses nomes são comuns aos Fulas, Mandingas, Beafadas, mansoancas garandi (islamizados), Balanta mane, Cssangas e Banhuns (islamizados), padjadincas, Manjacos de pelundo, Saracoles etc. etc. Em Gambia, Senegal e Guiné Conakry existem pessoas de diferentes etnias mas que tem em comum a religião islâmica.
Eis alguns exemplos que constam da lista:
- Adama; Adul (abreviatura de Adulai que e o mesmo que Abdulai em mandinga e outras etnias).
- Aminata; (tem como abreviatura Ami), Aua.
- Bacar; Atribuído á etnia mandiga mas entra na categoria de nome de origem islâmico, por isso transversal a todos os grupos ou pessoas islamizadas.
- Bacari; Trata-se de uma deturpação de Bacar.
- Cadidjatu (cadidja, cadja e cadi são todas abreviaturas de cadidjatu).
- Conco; É nome tipicamente mandinga e significa fome e também meio-quarto que se constrói na parede lateral ou frontal de uma casa. Mas é normal encontrar esse nome também nos fulas e outras etnias em virtude de cruzamento por casamentos.
- Dalla; (mandinga e beafada).
- Fode; (Titulo na religião islâmica, mais usado pelos mandingas e etnias afins do que própriamente fula).
- Gibril; (anjo Gabriel, transversal aos islamitas).
- Idrissa; Outro nome transversal.
- Infali; (Ali genro do profeta e por deturpação o nome Aliu é o mesmo que Infali), daí ser também transversal.
- Kausso; Nome tipicamente e originalmente Djakanka.
- Malam; (Nome do profeta), transversal. Mamadu, Malam, Malamine sao as diferentes formas de chamar o profeta.
- Mariama; Transversal.
- Quecuta; (Mandinga original tipicamente, significa homem novo, mais comum em mandingas e afinas (beafadas, padjadincas, mansoancas garandis, etc)
- Sali; (abreviatura de salimata), transversal.
- Serifo; (Estatuto na religião islâmica), transversal.
- Sona; (Mais comum nos mandingas e afins e menos nos fula).
- Suleimane; Transversal.
- Tenenba; Mandinga. O sufixo ba significa o mais velho.
- Umaro; (nome de um dos próximos do profeta), transversal.
Penso que o objetivo deste exercício é indicar nome típico de uma determinada etnia e se possível o respetivo significado.

Eis alguns nomes mandinga:

- Alamuta, (Fé em Deus)
- Alanso, (Oferta de Deus)
- Buntum, (Celeiro)
- Suntucum, (Lixeira)
- Coba, (cozinha)
- Cairaba, (Felicidade)
- Caramo, (Mestre)
- Queba, (Velho)
- Queluntam, (Hospede macho)
- Quendim, (Homem pequeno)
- Quemessen, (Homem magro)
- Quedjan, (Homem alto)
- Quecoi, (Homem de pele clara)
- Luntan, (Hospede)
- Kinty, (Milhete)
- Faro, (Arrozal)
- Djaliba, (Grande músico)
- Djali, (Músico)
- Cumba, (Cabeça grande)
- Carfa, (Entregue)
- Famata, (Ausente por algum tempo)
- Suti, (Chefe de família)
- Kendo, (O que vale)
- Mussu, (Mulher)
- Nhima, (Bela)
- Terenma, (Surpresa)
- Afilidje, (Deixa estar)
- Djonsaba, (Terceira escrava)
- Tandjan, (A décima)
- Muscuta, (Mulher nova)
- Mussuba, (Mulher grande)
- Musqueba, (Mulher velha)
- Numo, (Ourives)
- Finaba, (Prosador)
- Moro, (Chefe religioso)
- Nhamo, (Palha)
- Mandjique, (Não acredito)
- Yatumbulo, (Deixaram-me)
- Quemo, (Alguém com prestígio)
- Suncar, (Mês de ramadão)
- Sandji, (Chuva)
- Tuncam, (Ferreiro)
- Quenhima, (Homem lindo)
- Quedjau, (Homem feio)
- Suncuto, (Rapariga)
- Sama, (Elefante)
- Bori, (Foge)
- Nhambo (Mandioca)
- Solo (Tigre)
- Babum (Curral de cabra)
- Dandan, (cerca)
- Tombom, (achado)
- Bolom, (rio)
- Quebute, (homem que bate)
- Banburam (Que carrega as costas)
- Totala, (sem nome)
- Curru keme, (100 colas)
- Djama dua, (Pedidos de muita gente)
- Djonkon, (Casa de banho exterior)
- Malafi, (Não querer)
- Cabaah, (Fruto silvestre chamado foli em criolo)
- Cunnadi,  (Salvação)
- Sorri, (madrugar)
- Borra, (Barba)
- N'fanmara, (Tomar conta de si)
- Coto, (Velha)
- Bunbaah, (Casa comum as mulheres que estão a amamentar).