Total visualizações de páginas, desde Maio 2008 (Fonte: Blogger)

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

P330 - A IGREJA NA VIDA DOS PRISIONEIROS DE GUERRA - [PARTE II] - O CASO DE GERALDINO MARQUES CONTINO - [1.º CABO OP.CRPT DA CART 1743 - TITE (1967-1969)]

Msg de Jorge Araújo com data de 15NOV2017

- De acordo com o previsto, anexo a segunda (e última) parte de um pequeno trabalho de pesquisa relacionado com os prisioneiros de guerra à guarda do PAIGC.
Nele se continua a abordar o caso particular de um dos três militares da CART 1743 - o Geraldino Marques Contino - capturado no dia 3 de Fevereiro de 1968, na Tabanca de Bissássema, situada na região de Tite.
Ainda que se tenham reproduzido no blogue [P328] os depoimentos publicados na Revista Expresso de 29 Novembro de 1997 [faz vinte anos], esta narrativa, pela sua especificidade temática, alarga e complementa os seus horizontes historiográficos no contexto da guerra no CTIG.

Com um forte abraço de amizade,

Jorge Araújo.












Poste relacionado com tema: https://cart3494guine.blogspot.pt/2017/11/p328-efemerides-1970-2017-22nov2017-faz.html

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

P329 - A IGREJA NA VIDA DOS PRISIONEIROS DE GUERRA [parte I] - O CASO DE GERALDINO MARQUES CONTINO - [1.º CABO OP.CRPT DA CART 1743 - TITE (1967-1969)]



MSG de Jorge Araújo com data de: 08NOV2017


Eis uma nova narrativa, para incluir na historiografia do conflito armado verificado no CTIGuiné, esta relacionada com os prisioneiros de guerra à guarda do PAIGC.
Trata-se de um pequeno trabalho de pesquisa que, pela sua dimensão, foi dividido em duas partes, sendo esta a primeira. Nele se aborda, particularmente, o caso de um dos três militares da CART 1743 - o Geraldino Marques Contino - capturado no dia 3 de Fevereiro de 1968, na Tabanca de Bissássema, situada na região de Tite.
Ele foi/está estruturado segundo uma sequência cronológica, desde o episódio da captura até à sua libertação. Pelo meio refere-se o caso particular do envolvimento da Igreja, e do Papa Paulo VI, na procura de informações sobre o destino deste nosso camarada durante o seu cativeiro.



A segunda parte seguirá oportunamente.
Com um forte abraço de amizade,



Jorge Araújo.














Vd. Poste anterior: 

"EFEMÉRIDES 1970 - 2017" - 22NOV2017, FAZ 47 ANOS QUE FORAM LIBERTADOS DAS CADEIAS DO PAIGC, 25 MILITARES PORTUGUESES

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

P328 - "EFEMÉRIDES 1970 - 2017" - 22NOV2017, FAZ 47 ANOS QUE FORAM LIBERTADOS DAS CADEIAS DO PAIGC, 25 MILITARES PORTUGUESES

EFEMÉRIDES 1970-2017


OPERAÇÃO "MAR VERDE"

22 de Novembro de 2017. Faz precisamente 47 anos que uma força naval portuguesa de 400 homens, comandada pelo então, capitão-tenente, Alpoim Calvão, invadiu o território da Guiné-Conacri, libertando das cadeias do PAIGC, 25 militares portugueses e um civil. Considerada justamente a mais espectacular de todas as missões realizadas pelas Forças Armadas, nos três teatros de Operações. (Angola, Moçambique e Guiné).

Recordamos aqui a notícia publicada em 29 de novembro de 1997 pela Revista do Jornal Expresso, quando pela primeira vez juntou 16 dos 25 militares ex. prisioneiros.

SdC

Textos de:
JOSÉ MANUEL SARAIVA










quinta-feira, 26 de outubro de 2017

P327 - BIGENE 1972 - “OPERAÇÃO SILENCIOSA” - A NEUTRALIZAÇÃO DA ARTILHARIA PESADA COLONIAL - [NO TEMPO DA CART 3329]

MSG de ex. FUR. Jorge Araújo da CART 3494, com data de 24OUT2017



Caríssimo Camarada Sousa de Castro.

Os meus melhores cumprimentos.

Eis mais uma narrativa para incluir na historiografia do conflito armado verificado no CTIGuiné, esta relacionada com as memórias de um ex-combatente do PAIGC e divulgadas na Revista «O Defensor», órgão de informação geral do Estado-Maior General das Forças Armadas da Guiné-Bissau.

Trata-se da parte I de uma entrevista dada pelo Brigadeiro-General das FARP, Albertinho António Cuma, a propósito de uma acção em que esteve envolvido em 1972 visando o ataque/assalto ao aquartelamento das NT em Bigene.

Porque no final desta narrativa se faz referência à nossa CART 3494, por via do cruzamento dos documentos investigados, farei oportunamente um novo texto tendo por base a ocorrência então referida.

Com um forte abraço de amizade,

Jorge Araújo.

Out/2017  








Vd. Poste anterior:  https://cart3494guine.blogspot.pt/2017/10/p326-guine-do-outro-lado-do-combate.html





segunda-feira, 9 de outubro de 2017

P326 - GUINÉ: (D)O OUTRO LADO DO COMBATE - PROPOSTAS DE REFORÇO DA COOPERAÇÃO DA GUINÉ-CONACRI AO PAIGC ELABORADAS POR AMÍLCAR CABRAL (14 DE SETEMBRO DE 1972) Parte III


 

Mensagem  com data de: 02/10/2017 do nosso camarada

Jorge Alves Araújo, ex-Furriel Mil. Op. Esp./RANGER, CART 3494


(Xime-Mansambo, 1972/1974)



Caríssimo Sousa de Castro,
Os meus melhores cumprimentos
Para concluir o trabalho de investigação em título, anexo o terceiro (e último) dos textos relacionado com a divulgação de um conjunto de propostas formuladas por Amílcar Cabral em Setembro de 1972 e enviadas a Sékou Touré, à data presidente da República da Guiné Conacri, visando o pedido de reforço da ajuda militar, logística e económica ao PAIGC, de modo a prosseguir a luta armada comum contra o regime português.
Este trabalho de pesquisa enquadra-se, também, no meu projecto de investigação historiográfica denominado «(D)o outro lado do combate».

Obrigado.

Um abraço, 

Jorge Araújo

 Vd postes anteriores da série Parte I e II aqui: 

https://cart3494guine.blogspot.pt/2017/06/p319-guine-do-outro-lado-do-combate.html

https://cart3494guine.blogspot.pt/2017/07/p322-guine-do-outro-lado-do-combate.html



– REFORÇO DAS FORÇAS DA LUTA E DOMÍNIO FINANCEIRO –


(PARTE III)

1.   INTRODUÇÃO
Apresento-vos, com algum atraso, a terceira e última parte de um pequeno trabalho de pesquisa, tendo por protagonista, uma vez mais, o secretário-geral do PAIGC, Amílcar Cabral (1924-1973), elaborado com recurso aos seus testemunhos escritos disponíveis na Casa Comum - Fundação Mário Soares - contributos essenciais para melhor se compreender as causas e efeitos de cada acção desenvolvida e alguns dos resultados contabilizados ao longo do conflito.
Com efeito, esta pesquisa está relacionada com o alinhamento de um conjunto de propostas elaboradas por Amílcar Cabral, remetidas em 14 de Setembro de 1972 [quatro meses antes do seu assassinato] à consideração de Sekou Touré (1922-1984), tendo como superior objectivo o reforço da cooperação entre o Partido Democrático da Guiné [PDG], então no poder, e o PAIGC na luta comum contra o regime português.
Recorda-se que este seu documento, escrito em francês e com tradução da nossa responsabilidade, está organizado em quatro pontos principais, cujo âmbito dos apoios resultam de uma apreciação, naquela época, dos maiores problemas e das principais necessidades da luta inventariados e justificados pelo secretário-geral, a saber:
I – Reforço da cooperação militar.
II – No domínio da segurança.
III – Reforço das forças da luta.
IV – No domínio financeiro.
Como síntese ao referido anteriormente, a primeira parte do documento relativa à ‘cooperação militar’ [P319], aborda o plano logístico, nomeadamente o reforço em armas, munições e viaturas; a reparação e manutenção das estradas, pontes e acessos em direcção às fronteiras da frente sul e ao fornecimento de cem toneladas de arroz a custo mais acessível a ser pago pelo Partido.

Citação:
(1971), "Amílcar Cabral e combatentes do PAIGC comunicando via rádio", CasaComum.org, Disponível HTTP: http://hdl.handle.net/11002/fms_dc_44154 (2017-9-28)


Sobre o pedido de ‘reforço da acção armada’, a proposta contempla o envio de militares do exército da Guiné Conacri para a fronteira, incluindo o patrulhamento regular, com recurso à utilização de armas pesadas, p.e. canhões de 130 mm. É, ainda, proposta a instalação de um sistema de defesa antiaérea ao longo da fronteira, desde Sansalé até Foulamory, com patrulhamentos dessa zona a cargo da Força Aérea Guineense.
É de relevar que é neste período e nesta mesma região, agora cronologicamente a uma distância temporal de quarenta e cinco anos, que por efeito de ser aprovada a instalação de um sistema de defesa antiaérea ao longo da fronteira da Frente Sul, o PAIGC viria a recebe os primeiros misseis terra-ar SAM-7 (STRELA), entre Fev/Mar de 1973.




Citação:
(1963-1973), "Combatentes do PAIGC manejando uma peça de artilharia antiaérea", CasaComum.org, Disponível HTTP: http://hdl.handle.net/11002/fms_dc_43111 (2017-9-28)

Citação:

(1966-1973), "Destacamento das FARP em formatura [com misseis antiaéreos]", CasaComum.org, Disponível HTTP: http://hdl.handle.net/11002/fms_dc_43844 (2017-9-28)


Miguel Pessoa
Do ponto de vista histórico, aqui se relembra o episódio ocorrido com o camarada Miguel Pessoa (Cor PilAv Ref, ex-Ten PilAv da BA 12, 1972/74), (imagem ao lado) que viveu a experiência de ter de ejectar-se, em 25 de Março de 1973, domingo, na região de Guileje, por via do seu avião FIAT G/91 ter sido atingido por um desses misseis (Tabanca Grande: P16496, P16494, P15948, P15768 e P15333). Também no P4051-LG, pode ler-se o seu relato acerca desta ocorrência. E, ainda, na Revista Militar nº 2553, de Outubro de 2014 (pp. 893-907) em https://revistamilitar.pt/revista/2553, sobre as origens e consequências dos ‘Strela’ no quadro operacional no CTIG.
Quanto à segunda parte, relativa à ‘segurança’ interna (P322), no documento solicita-se autorização e colaboração no recenseamento de todos os indivíduos naturais da Guiné-Bissau residentes na República da Guiné Conacri, com distribuição de cartão de identificação emitido pelo PAIGC, com o propósito de procederem ao controlo dos sujeitos em cada uma das regiões administrativas (ver mapa abaixo).
Finalmente, esta terceira parte corresponde às últimas propostas temáticas indicadas no índice (pontos III e IV). No final de cada ponto será apresentado o competente original dactilografado em língua francesa, critério utilizado desde o início deste trabalho.
Propostas (finais)
III – Para reforço das forças da luta
1.    Em cooperação com as autoridades locais, a J.R.D.A. [Juventude da Revolução Democrática Africana] e a Milícia Popular guineense [organização a quem foi oficialmente atribuído, a partir de 1969, um papel equivalente ao exército], recuperação imediata dos combatentes que desertaram da frente para se refugiarem na República da Guiné Conacri (Cadinhá, Djabada, Kanfrandi, Boké, Boffa, Koba, Conacri, Koundara, Gaoual, etc.). O seu retorno imediato às frentes da luta para serem reintegrados nas nossas Forças Armadas.


Linha de fronteira da Frente Sul separando os territórios das duas Guinés (Net)


Mapa das principais regiões administrativas da República da Guiné Conacri aonde se refugiaram aqueles que desertaram da(s) Frente(s) (Net).
2.    Permissão para o recrutamento de jovens (de 17 aos 25 anos), cidadãos imigrantes do nosso país ou descendentes de imigrantes na República da Guiné Conacri.
a)    – Concentração destes recrutas em Conacri.
b)    – Formação acelerada, em Kindia, no campo de treino da OUA [Organização da Unidade Africana, criada em 25 de Maio de 1963, em Adis Abeba, Etiópia, por iniciativa do imperador etíope Haile Selassie (1892-1975), através da assinatura da sua Constituição por representantes de trinta e dois governos de países africanos independentes. Em 9 de Julho de 2002 a OUA foi substituída pela União Africana (UA)]. A formação dos recrutas visa a sua integração nas frentes da luta.
Original em francês (folha 2)



IV – No domínio financeiro
1.  Comprar, ao melhor preço para o Ministério do Comércio, as quantidades de certos produtos de primeira necessidade (gasolina, sabão, fósforos, alguns tecidos, etc.) quando as nossas disponibilidades não ultrapassem as possibilidades para o consumo imediato.
2.  Permissão para que o nosso Partido possa receber quotas (voluntárias) dos cidadãos do nosso país instalados [residentes] na República da Guiné Conacri, para o desenvolvimento da luta.
3.  Realização, por intermédio do P.D.G. [Partido Democrático da Guiné], especialmente da J.R.D.A. [Juventude Revolucionária Democrática Africana], da C.N.T.G. [Confederação Nacional dos Trabalhadores da Guiné] e da U.N.F.G. [União Nacional das Mulheres da Guiné], de festas, missões, quermesses, etc., para a obtenção de receitas destinadas à luta.
Estas medidas poderiam ajudar o nosso Partido, de modo significativo, a fazer face às exigências cada vez maiores da luta no domínio financeiro.
Apresentaremos novas propostas à medida da intensificação da luta e o desenvolvimento da cooperação prática o exigirem.
Conacri, 14 de Setembro de 1972, Amílcar Cabral, Secretário-Geral
Original em francês (folha 3)

Fonte:
Instituição: Fundação Mário Soares
Pasta: 07200.177.003
Título: Propostas do PAIGC à consideração de Sekou Touré
Assunto: Propostas de Amílcar Cabral, Secretário-Geral do PAIGC, à consideração de Sekou Touré, no âmbito da cooperação entre o PDG e o PAIGC. Reforço da cooperação no domínio militar. Domínio da segurança. Reforço das forças vivas da luta. Domínio financeiro.
Data: Quinta, 14 de Setembro de 1972
Observações: Doc. Incluído no dossier intitulado Decisão de A. Cabral / Propostas a Sekou Touré 1972. Documento igual a 04603.004.
Fundo: DAC – Documentos Amílcar Cabral
Tipo Documental: Documentos
Obrigado pela atenção.
Um forte abraço de amizade com votos de muita saúde.
Jorge Araújo.
02OUT2017