Total visualizações de páginas, desde Maio 2008 (Fonte: Blogger)

quinta-feira, 9 de junho de 2011

P110 - Mutilação Genital Feminina na Guiné «Foi aprovada uma lei que proíbe a mutilação genital feminina» (VEJA TAMBÉM VÍDEO SOBRE CIRCUNCISÃO MASCULINA)

Mutilação Genital Feminina - foto de:Jean-Marc Boujou/AP (arquivo)
08-06-2011 10:53

Guiné-Bissau
Parlamento aprova legislação que proíbe mutilação genital feminina


Bissau - O parlamento da Guiné-Bissau aprovou segunda-feira a legislação que proíbe a mutilação genital feminina no país, disse hoje (quarta-feira) Fatumata Baldé, presidente do Comité Nacional para o Abandono de Práticas Tradicionais Nefastas à Saúde da Mulher e da Criança.

A legislação foi aprovada com 64 votos a favor, três abstenções e um contra.
Segundo Fatumata Baldé, "foram décadas de luta" que se "concretizou com a adopção daquela medida legislativa", mas o trabalho "começa agora".
"O trabalho para nós começou mesmo agora porque tendo em conta que é uma prática secular não podemos pensar que a adopção de uma lei automaticamente irá pôr fim a essa prática", afirmou.

Mutilação genital feminina (O fanado)
Para Fatumata Baldé, a partir de agora é preciso "arregaçar mais as mangas e ir ao terreno" para se começar "novamente com as acções de sensibilização e informação" das comunidades.
"É importante nós continuarmos com as nossas sessões de formação e informação das nossas comunidades para se abandonar a prática", disse.
Fatumata Balde disse também que vai continuar a trabalhar no sentido de o Governo incluir no currículo escolar informação para o abandono de práticas tradicionais nefastas e envolver as religiões islâmicas, católica e evangélica no combate contra a mutilação genital feminina.
A lei aprovada pelo parlamento guineense prevê penas de prisão que variam entre um e cinco anos para as pessoas que façam mutilação genital feminina e para as que levam as crianças à 'fanateca'.
Fanateca [nome guineense dado à mulher que pratica a excisão]

Excisão [ritual feminino que implica o corte do clítoris]

Fonte:
http://www.portalangop.co.ao/motix/pt_pt/noticias/africa/2011/5/23/Parlamento-aprova-legislacao-que-proibe-mutilacao-genital-feminina,bba6572e-bc9f-415e-aef4-792d0cd7154a.html#




Veja o video sobre circuncisão masculina em países africanos!!! Fonte: Youtube

Vê aqui testemunhos de quem fotografou algumas cenas sobre o "Fanado" Preparação para o FANADO do Blogue: "luisgraca&camaradasdaguine" com a devida vénia

4 comentários:

Anónimo disse...

Passei por aqui e não pode deixar de comentar este artigo!
MGF, mutilãção genital feminina, também vulgarmente conhecida por excicão! È uma pràtica inaceitavel que consiste na amputação do clitoris feminino! Verdade! E por qual razão é praticada???
A origem da amputação do clitoris da mulher africana, era puramente estética, pois sendo o clitoris da mulher africana demasiado grande, era considerado como uma imperfeição, pois os ignorantes dessa época( anos 1600) pensavam que era um sexo masculino!
hoje continuam essa pràtica, porque descobriram que era um organe de prazer sexual, e para certas categorias de homens é impensavel uma mulher ter prazer sozinha sem penetração vaginal!
Agradeço o Criador do Universo de ter nascido e ter sido criada num paìs onde esse tipo de pràtica é ilegal!
Se essas crianças tivessem escolha, tenho certeza que não estavam de acordo com essa pràtica!

Uma mulher não excisada!

CART 3494 - Xime e Mansambo DEC71/ABR74 & camaradas da Guiné disse...

Proibida ou não, ela continuará sempre a ser feita e o governo não intervém será exactamente como se passa com o Mali ou Djibouti onde é também proibida e continua a ser praticada o governo nunca se meterá de "caras" face a marabouts !! talvez mesmo em Portugal emigrantes de Guiné o fazem!

Jorge Falcão

CART 3494 - Xime e Mansambo DEC71/ABR74 & camaradas da Guiné disse...

Finalmente acabou esta desumanização de medo e dor para com as mulheres africanas.
Embora se pudesse aceitar por ser uma tradição desses povos o comentário de uma senhora neste blogue vem desarticular todo o tradicionalismo destas mutilações imposto pelos seus chefes tradicionais.
Assim, era por uma simples satisfação feminina que era imposta esta mutilação genital.
Parabéns aos deputados que conseguiram proibir esta tradição.
Mas, não basta a sua aprovação. Terá que ser efectiva e que não ficar só pela lei.

João Pereira da Costa

Anónimo disse...

Faço minhas as palavras do primeiro comentario !
Completamente de acordo com essa pessoa anonima.
Obrigada pelo artigo que nos faz recordar como é bom vivermos num pais civilizado.