Total visualizações de páginas, desde Maio 2008 (Fonte: Blogger)

Calcule seu Peso Ideal
Sexo: M F
Sua altura: m
Segure seu punho com o indicador e o polegar da outra mão. Seus dedos se tocam?
Não Sim, justos Sim, e sobram

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

P-131 (3) (Luís Gonçalves Vaz) Troca dos útimos prisioneiros na Guiné em 1974, 35 do PAIGC, 7 militares Portugueses (Fim)



"Troca dos últimos prisioneiros na Guiné (3) "   CONTINUAÇÃO/FIM

Foto de: Bara István, fotógrafo húngaro,

1969 – um guerrilheiro do PAIGC transporta armamento para mais uma flagelação às tropas coloniais portuguesas.


(...) A permuta de prisioneiros não chegou a efectuar-se em 9 de Setembro de 1974,em virtude do PAIGC não ter apresentado os Prisioneiros das NT (nossas tropas), retidos em seu poder, nessa data. Como consequência, os elementos das NT e jornalistas (nacionais e estrangeiros) regressaram pelas 16h00 a BISSAU, tendo ficado em Aldeia Formosa o capitão-tenente Patrício com os 35 PG/PAIGC, que aí aguardaram até a chegada dos PG/Nossas tropas. Nesse sentido, o Encarregado do Governo da Guiné, telegrafou à Direcção do PAIGC manifestando a sua estranheza pela não apresentação dos Prisioneiros de guerra por parte do Partido. Em resposta, LUÍS CABRAL apresentaria desculpas esclarecendo que a demora tinha sido devida "ao mau estado das estradas", não tendo sido possível por isso transportar os prisioneiros como fora planeado.
Luís Gonçalves Vaz

A troca dos trinta e cinco prisioneiros de guerra (guerrilheiros do PAIGC), em nosso poder e retidos na Ilha das Galinhas, pelos sete prisioneiros (já identificados anteriormente) das nossas tropas, e retidos pelo PAIGC no Boé, só veio finalmente a concretizar-se no dia 14 de Setembro de 1974, pelas onze horas, no aquartelamento de Aldeia Formosa. Estiveram presentes nesse acto pelas nossas tropas, o Major de Infantaria, Tito José Barroso Capela (Chefe da 2ª Rep. do QG), o Major de Artilharia Aragão, o Capitão-tenente Patrício, o capitão de Infantaria Manarte e o Furriel miliciano Elias (da 2ª Rep./QG/CTIG). Por parte do PAIGC, estiveram presentes os seguintes elementos; Manuel dos Santos (Sub. Secretário Informação/Turismo do G.B.), Carmen Pereira (Membro do Conselho de Estado/GB) e Iafai Camará (Comandante do Aquartelamento de Aldeia Formosa). Recebidos os prisioneiros das nossas tropas (sete militares) e depois de identificados, constatou-se que dos sete prisioneiros entregues, um era o soldado nº10998071, António da Silva Baptista do Batalhão de Caçadores 3872 – não constava dos ficheiros de militares portugueses retidos pelo inimigo, ou desaparecidos em combate.

Pelo que foi de imediato elaborada uma ficha, que foi entregue à 1ª Rep./QG, com a finalidade de “esclarecer a situação deste militar”. Como já referi anteriormente, o soldado em questão, António Baptista foi dado (erradamente) como morto em 17 de Abril de 1972, numa emboscada em Madina-Buco, onde as nossas tropas sofreram 1 desaparecido e 10 mortos, 6 dos quais queimados na explosão da viatura em que seguiam. Foi este facto que levou a confundir um dos corpos queimados na referida emboscada, com este militar desaparecido, António da Silva Baptista do Batalhão de Caçadores 3872. Imediatamente após a “identificação oficial” pelas nossas tropas dos nossos militares  prisioneiros, a comitiva regressou por via aérea, a Bissau onde desembarcaram cerca das 23 horas do dia 14 do mês de Setembro. Ficaram instalados no Hospital Militar de Bissau até às 04:30 horas do dia seguinte (15 de Setembro), data em que embarcaram por via aérea para Lisboa.
Luís Gonçalves Vaz
(filho do último Chefe e Estado-Maior do CTIG, Coronel Henrique Gonçalves Vaz)
Nota do editor:  Tendo em conta que fizeram o funeral  ao António Baptista conforme se pode verificar, no documento retirado do blogue:Luís Graça & camaradas da Guiné com a devida vénia, ele próprio a visitar a sua campa, na sua terra (Maia), Pergunta-se: Quem é a pessoa que meteram no caixão?!...

António Baptista

António da Silva Batista
Maia > Moreira > Cemitério local > Foto do Jornal de Notícias, edição de 18 de Setembro de 1974, mostrando o soldado António da Silva Batista, a visitar a sua própria campa.

A notícia do jornal era: "Morto-vivo depôs flores na sua campa". Na lápide pode ler-se: "Em memória de António da Silva Batista. Falecido em combate na província da Guiné em 17-4-1972".

A foto, de má qualidade, foi feita pelo nosso camarada Álvaro Basto, ex-Fur Mil Enf da CArt 3492 (Xitole, 1971/1973), com o seu telemóvel, na Biblioteca Pública Municipal do Porto, e remetida ao Paulo Santiago.
cópia do relatório da CCaç 3490, Saltinho, 21 de Abril de 1972

Exemplar nº…
CCaç 3490
Saltinho
210800ABR72

Anexo B (Relação do pessoal morto e ferido em combate) ao relatório de emboscada nº 03/72.

1.Causas que deram origem às baixas sofridas pelas NT
-Contacto com o IN na emboscada sofrida pelas NT no dia 17 de Abril de 1972, na
região do Quirafo (Contabane 9. B7-60).

i)Relação numérica e nominal dos militares, milícias e elementos da População
colaborantes com as NT, mortos em combate:
- Sr. Alf. Mil. Nº 00788271 – Armandino da Silva Ribeiro
- Furriel Mil. Nº 01142371 – Francisco Oliveira dos Santos
- 1º Cabo Radioteleg. Nº 08845271 – António Ferreira
- 1º Cabo A.P.Met. nº 14964771 – Sérgio da costa Pinto Rebelo
- Soldado nº 09334069 – António Marques Pereira
- Soldado nº 10665171 – Bernardino Ramos de Oliveira
- Soldado nº 10896771 – Zózimo de Azevedo
- Soldado nº 10998071 – António da Silva Baptista
- Soldado nº 11117671 – António de Moura Moreira
- Sargento Mil. Nº 044665 – Demba Jau
- Civil – Serifo Baldé
- Civil - Tijane Baldé

ii)Relação numérica e nominal dos militares desaparecidos em combate
- Soldado nº 11331671 – António Oliveira Azevedo

iii) Relação numérica e nominal dos militares, feridos em combate
- 1º Cabo Atirador nº 11549071 – Augusto Carlos Leite
- Soldado Atirador nº 10819171 – José Manuel de Barros Fernandes
- Soldado Atirador nº 10977271 – Manuel Hernâni Martins Alves Gandra
- Soldado Atirador nº 11060971 – Manuel da Costa Almeida
- Civil – Saico Seidi
- Civil – Cabirú Baldé

Assina pelo Comandante da Companhia (Dário Manuel de Jesus Lourenço, Cap. Mil. Inf.) o Alf. Mil. Alexandrino Luís F. (restante ilegível).
2. Nota do QG da R. Miltar do Porto, solicitando que fossem pagos ao António Baptista os vencimentos em atraso e que fosse definida com urgência a sua situação militar.

Vd. Posts da série:05DEC2011 (1) (2) http://cart3494guine.blogspot.com/2011/12/p-129-troca-dos-utimos-prisioneiros-na.html
http://cart3494guine.blogspot.com/2011/12/p130-2-luis-goncalves-vaz-troca-dos.html

Sem comentários: